A crise, a churrascaria e o Lava – Car

a-crise,-a-churrascaria-e-o-lavacar

2015 foi um ano marcado pela crise econômica no Brasil. Muitas empresas fechando, o desemprego aumentando, o dólar subindo, o Brasil sendo rebaixado no grau de investimento e muitas outras coisas acontecendo. Pessimistas até diriam que na crise é o pior momento para empreender e eu até concordaria mediante a tantas notícias ruins, mas um almoço em uma churrascaria e uma lavagem no meu carro me provaram que não.

Dias antes da virada de ano me dei ao luxo de, junto com um colega de trabalho, almoçar em uma churrascaria aqui de Curitiba. De momento não lembro o nome do lugar, não é uma churrascaria bem conhecida da cidade, porém o atendimento é ótimo, o lugar agradável, a carne é de qualidade e a sobremesa um delicioso pastelzinho de chocolate. Neste dia o lugar estava bem vazio e meu primeiro pensamento foi: “A crise tá batendo aqui“. Engano meu, devia ter olhado no relógio e visto que já eram quase 14:00 hrs e todas as pessoas normais almoçam entre 11:30 às 13:00.

Depois de muita carne e muitos pasteizinhos deliciosos nos levantamos para pagar nossa conta no caixa e lá tive uma lição de como vencer na crise. Quem nos atendeu foi o dono do restaurante. Na mão dele estava um telefone e ele atento olhava para uma agenda de contatos, de repente: — “Alô, boa tarde. Sou fulano da churrascaria tal. Gostaria de convidar sua empresa para realizar sua festa de fim de ano conosco, estamos com ótimos preços.” — Notei que a outra pessoa do outro lado do telefone se interessou pois ele começou a passar os valores. Pagamos a conta e fui para o trabalho pensando na atitude daquele dono do restaurante.

pensando1

No outro dia, fui deixar meu carro para lavar em um lava – car próximo do meu trabalho. Procedimento normal, deixo o carro pela manhã, peço para que façam a lavagem completa, no fim do dia pego o carro limpo e pago os R$30,00 que eles cobram. Mas não nesse dia, pois quem me atendeu foi o dono. Fiz o de costume, deixar a chave e pedir a lavagem completa, quando fui surpreendido por ele dizendo: — Posso te mostrar uma cera que tenho aqui? — Como trabalho em um e-commerce de acessórios para carros fiquei curioso em saber se ele usava algum produto que nós comercializamos. Eu o acompanhei até sua sala e ele me explicou a diferença da cera usada na lavagem completa e a que ele usa para realizar o polimento após lavagem. Resumindo no fim da conversa, ele me convenceu a investir mais R$20,00 e deixar o carro encerado. Fui para o trabalho e também fiquei pensando na atitude daquele empreendedor.

pensando2

Fiquei pensando o quanto de faturamento o dono da churrascaria trouxe para dentro de sua empresa apenas realizando algumas ligações ao invés de esperar os clientes o procurarem? Ou, quantas vendas aquele dono do lava – car converteu usando a técnica de mostrar a diferença nas lavagens? Cheguei a conclusão que a crise é difícil sim e talvez seja ainda mais para quem tem preguiça de botar a mão na massa. Com certeza esses dois empreendedores perceberam que o faturamento estava caindo e de alguma forma buscaram recuperar essa receita e como todos sabem, o dinheiro só vem com muito trabalho. Resumindo, crise é HARD WORK!

Compartilhe esse post:

Jader Galhardo

Eu não empreendedo, e é daí que criei o blog. Graduado em marketing e apaixonado por criatividade e inovação. Blogueiro nas horas vagas e vendedor em todas as outras.

More Posts - Website

Follow Me:
Facebook

  • Em momentos de crise é onde as empresas mais devem de investir em algum tipo de publicidade ou marketing no ponto de venda, como foi o caso do dono do lava jato. É o momento das empresas se destacarem por esses pequenos detalhes, né? Bom texto 🙂
    Beijos! =**

    • Isso mesmo, as empresas tem por costume se retrair ao invés de se mostrar na crise, além do investimento em marketing é necessário por a mão na massa.
      Obrigado pela visita e pelo elogio, volte sempre! 😀